Natalia Bonfim

Esperança

Esperança
A ESPERANÇA NÃO É A ÚLTIMA QUE MORRE, A ESPERANÇA É UM TROÇO QUE MORRE MILHÕES DE VEZES DURANTE A NOSSA VIDA. E ESSE TROÇO ESSENCIAL RESSUSCITA, PODE TER CERTEZA, MESMO QUE TENHA A VIDA ÚTIL DE UM INSETO. Natalia Bonfim • ImG: "Quantos anos você teria se não soubesse quantos anos tem?"...

—————

Brincante

Brincante
Há bonecas que fazem xixi e há coelhinhos que sangram. Natalia Bonfim • Arte Digital: Mark Ryden http://www.markryden.com/

—————

Fragmentada

Fragmentada
Fragmentada Depois de cinco anos estou vendo uma paisagem inteira. Um resto de céu e muitos prédios inteiros. Um pedaço de paisagem certamente, que nenhuma janela apresenta o mundo inteiro. Como é boa a visão não fragmentada! A rede de proteção própria, que agora tiraram por estar suja, eu já...

—————

Interpoetividade

Interpoetividade
Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida. (Carlos Drummond de Andrade) * Quando nasci veio um anjo safado O chato dum querubim E decretou que eu tava predestinado A ser errado assim Já de saída a minha estrada entortou Mas vou até o...

—————

Lutar - AB'

Lutar - AB'
AB' a reta-dada ¬¬ diz: [travessão] Lutar? Lutar por mim? Eu não, tenho mais o que fazer enquanto me dano. E você decerto tem mais o que abraçar enquanto causa... Natalia Bonfim • Arte Digital: Trevor Brown http://www.pileup.com/babyart/

—————

Mãos

Mãos
De repente me vejo com as mãos amputadas sem sequer poder proteger meus olhos de outros olhos, enquanto choro. Natalia Bonfim

—————

Paródia de Cidadezinha Qualquer

Paródia de Cidadezinha Qualquer
Cidade grande Natalia Bonfim Edifícios entre edifícios Os homens nos seus ofícios trabalhar trabalhar trabalhar O povo encoxado no busão O povo encoxado no vagão  O povo sem cara na multidão Eta, lasquêra do diabo!   (Paródia de Cidadezinha Qualquer, de Carlos Drummond de Andrade)

—————

Eu

Eu
Eu Definitivamente Quero barbarizar com esta criança Que não existe Nascer é sair pela cu latra trina Tristeza profunda afunda na bunda da puta Eu Definitivamente Cobro cinco ansiolíticos por transa. Natalia Bonfim • Arte Digital: Pregnant enema, Trevor...

—————

Poesias monofóbicas

Poesias monofóbicas
NÃO ME DEIXE SÓ COM ESTAS POESIAS MONOFÓBICAS EU PRECISO DE VOCÊ ENQUANTO MORRO ENQUANTO ME ABORTO NÃO ME ABORTE. Natalia Bonfim • Arte Digital: Foetus in head, Trevor Brown http://www.pileup.com/babyart/

—————

O tempo e o morto

O tempo e o morto
No banco da praça da Rua Glória jaz um cachaceiro um vagabundo que nem mais sabia quem era. "Que fedô!" - disse um "Coitado..." - pensou outro Logo esqueceu, poupando-se afinal. No dia seguinte, a comoção do nobre poeta: "No banco pichado de uma rua qualquer morre um homem um homem...

—————

ECO

ECO
ECO - EU CHORO ORO ORO ORO (solidão) poro a poro (silêncio) tête-à-tête PIRO POR H_ORA SÓtac de mim semTIC per te. Natalia Bonfim • Arte Digital: Mark Ryden http://www.markryden.com

—————

Minha amiga

Minha amiga
MINHA AMIGA Só estou esperando que o tempo passe E a minha amiga venha me visitar Quem sabe ela vem se eu chamar Quem sabe não esteja tão ocupada Eu a quero bem, quero-a para mim Diz que vem um dia, quando eu menos esperar E estou certa de que não me engana, minha amiga Tão só que é, tão...

—————